Etanol é mais caro em Piracicaba e Limeira, aponta pesquisa da ANP
23/03/2022 10:29 em Cidade

Limeira e Piracicaba são as cidades da região metropolitana com os maiores preços máximos para o litro do etanol combustível, chegando a R$ 4,999. Os valores mais ‘salgados’ para gasolina estão em Limeira (R$ 7,399); para o diesel comum em Rio Claro (R$ 6,699); e para o botijão de gás de cozinha em Leme (R$ 123). O levantamento foi feito com base nas últimas quatro pesquisas da ANP (Agência Nacional de Petróleo) para Araras, Leme, Limeira, Piracicaba, Pirassununga e Rio Claro – as demais cidades da RMP (Região Metropolitana de Piracicaba) não estão no sistema da agência.

De acordo com o indicador semanal do para o preço do etanol hidratado (utilizado como combustível) do Cepea/Esalq (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), o valor do preço na usina sofreu três altas consecutivas em março: 1,81%, 8,20% e 3,86% – o valor do litro passou de R$ 2,921 para R$ 3,282. Segundo análise dos pesquisadores do departamento, as altas no preço do biocombustível tiveram motivo no reajuste anunciado pela Petrobras no início de março, já eram esperadas porque o consumidor está trocando a gasolina pelo etanol.

Após mais de 10 dias da autorização para aumento dos preços da gasolina, diesel e gás, o comportamento geral do mercado varejista foi de alta, conforme a ANP. Entre as seis cidades da RMP pesquisadas pela agência, a gasolina subiu por litro entre R$ 0,60 e R$ 1; o etanol de R$ 0,19 a R$ 0,30 (com exceção de Rio Claro que não houve reajuste); o diesel aumentou entre R$ 1,26 a R$ 0,15; e o botijão de gás teve reajuste entre R$ 10 e R$ 15. Em Piracicaba, os preços máximos estão em R$ 7,199 para gasolina; R$ 4,999 para o etanol; R$ 6,599 o diesel; e R$ 120 o gás de cozinha.

No campo político, empresas do setor de petróleo agem nos bastidores da Câmara dos Deputados para barrar de vez a votação do projeto de diretrizes de preços para o diesel. No âmbito dos Estados e Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), há negociações para acertar uma alíquota uniforme no País para o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) também sobre o diesel. O objetivo é reduzir o diesel em R$ 0,21, o que não deve acontecer no Estado de São Paulo porque a taxa aplicada é menor do que outras regiões brasileiras.

Cristiane Bonin
cristiane.bonin@jpjornal.com.br

FONTE: O JORNAL DE PIRACICABA

COMENTÁRIOS