Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Idoso requer atenção e carinho, mesmo no distanciamento
27/07/2020 16:00 em Educação

“Viver o hoje, se manter calmo e saudável para retomar as atividades quando tudo isso passar”. A frase, que pode ser encarada como mantra para enfrentar a rotina do distanciamento e isolamento causados pela covid-19, é da médica gestora da medicina preventiva da Unimed Piracicaba, Luciane Furlan Theodoro, ao se referir aos cuidados com os idosos nesse período de pandemia.

Às famílias, ela aconselha atenção e, apesar da distância física, reforça a necessidade de se mostrar presente, se preocupadando e mantendo a atenção a eles.

A médica destaca que o cuidado já é necessário pelo fato de os idosos serem grupo de risco, por isso, a preocupação não deve ser apenas com relação à covid-19.

“É preciso entender que, apesar da covid-19, as outras doenças continuam matando, como câncer, hipertensão, doenças renais, e pos isso, os idosos devem continuar sendo cuidados”, observou.

Aos idosos saudáveis que enfrentam o isolamento, Luciane aconselha criar uma rotina saudável, com atividades prazerosas.

“Arrumar o álbum de fotografias da família, ou aprender coisas novas, os idosos têm de se mobilizar, fazer coisas que antes não fazia por falta de tempo”, aconselhou.

O acesso à internet e as plataformas digitais são outros fatores que contribuem positivamente para os idosos. “Muitos podem se comunicar ou assisitir a tutoriais para aprendizado”, afirmou.

A médica chama a atenção para os cuidados com as saúdes física e psicológica do idoso em tempos de isolamento. Para isso, ela sugere que as famílias observem a qualidade das informações que chegam até ele.

“É preciso evitar a exposição desnecessária ao sensacionalismo, essas informações têm impacto na saúde emocional”, observou.

VALORIZAÇÃO
Luciane reforça a necessidade de valorizar o idoso, dar a atenção devida, respeito e carinho. “Eles são fundamentais, detêm conhecimento e alguns são ainda responsáveis pelo sustento da família”, afirmou a médica.

“Eles precisam saber e perceber que, mesmo à distância, estão sendo acompanhados pela família”, pontuou.

fonte: Jornal de Piracicaba

COMENTÁRIOS