Presidente da Sapucaia lamenta cancelamento em 2018 e põe em cheque desfile nos próximos anos
03/02/2018 09:12 em Carnaval

Tradicional evento de Piracicaba foi cancelado por falta de documentação; associação afirma que fez o possível para colocar o bloco na rua.

Muito abalado pelo cancelamento do desfile da Banda da Sapucaia neste ano, anunciado dois dias antes do evento, o presidente da Associação Amigos da Sapucaia, Renato Freitas Sampaio, afirmou que não sabe como serão os próximos anos do bloco. O tradicional encontro de foliões ocorreu por 21 anos seguidos em Piracicaba (SP).

"Eu cheguei numa posição que nós não vamos descer. Eu sou o presidente da associação porque nós tivemos uma eleição neste ano, né? Eu tenho mais três anos para terminar o meu mandato, mas em 2019, 2020 e 2021 nós não vamos mais descer na Moraes Barros. Podemos fazer outro tipo de atividade", afirmou o presidente ao final da entrevista coletiva convocada pela associação na tarde de sexta-feira (2).

Presidente da Associação da Sapucaia, Renato Sampaio, mostra o cartaz para a edição deste ano (Foto: Arthur Menicucci/G1) Presidente da Associação da Sapucaia, Renato Sampaio, mostra o cartaz para a edição deste ano (Foto: Arthur Menicucci/G1)

Segundo a prefeitura, em nenhum momento a associação apresentou os documentos necessários para a realização do evento. Dentre as exigências está o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), que passou a ser exigido, segundo a prefeitura, a partir da Lei Boate Kiss, em vigência desde outubro. Leia a nota completa ao fim do texto.

'Para mim, acabou'

Em tom melancólico e de decepção, Sampaio lamentou. "Para mim a Sapucaia acabou aqui hoje [sexta]. Não pelo meu gosto, porque eu amo muito a Sapucaia, eu adoro a Sapucaia. Eles não autorizaram porque não querem que a Sapucaia desça".

O capitão do 10º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPMI), José Antônio Golini, foi à coletiva da associação e afirmou que haverá reforço no policiamento da região onde ocorreria o evento para que não haja aglomeração.

"A gente vai fazer um policiamento na região para assegurar o direito das pessoas que residem ali, para que a circulação de veículo, ônibus principalmente, não seja prejudicada. Que o comércio não seja prejudicado", afirmou Golini.

Capitão da PM foi à sede da Associação dos Amigos da Sapucaia durante o anúncio do cancelamento (Foto: Arthur Menicucci/G1) Capitão da PM foi à sede da Associação dos Amigos da Sapucaia durante o anúncio do cancelamento (Foto: Arthur Menicucci/G1)

O vice-presidente da associação da Sapucaia, Cristiano Nardon, afirma que a prefeitura não conversou com a organização do evento. "A gente mandou um comunicado, um ofício [para a prefeitura] dia 30 de outubro para querer saber como seriam as tratativas neste ano e não houve um retorno. A prefeitura não conversou com a gente sobre como seria conduzido".

A prefeitura, no entanto, contesta essa afirmação e diz que sempre manteve contato e inclusive enviou uma lista dos documentos necessários. "Desde dezembro, os organizadores têm sido informados e orientados, seja em reuniões ou em contatos telefônicos, da necessidade da Associação estar atenta às exigências das leis em níveis federal e municipal. Em nenhum momento, a Associação apresentou documentos que garantissem a ela a realização do evento"

Leia a nota da prefeitura:

A Prefeitura de Piracicaba recebeu no início da tarde de hoje, 02/02, informações sobre o possível cancelamento da descida da Banda da Sapucaia no próximo domingo, 04. A respeito disso, a Prefeitura, por iniciativa da Procuradoria-geral, promoveu na tarde de hoje uma reunião com todas as secretarias envolvidas com a Sapucaia para tomar algumas deliberações diante do possível cancelamento do evento.

Durante a reunião foi feito relato das respostas dadas pelas secretarias aos organizadores, registradas no Sistema de Solicitação de Eventos nº 187411/2017, de 15 dezembro do ano passado. No mesmo dia, a Secretaria Municipal de Governo e Desenvolvimento Econômico informou que, de acordo com a Lei Federal 13.425/2017, que entrou em vigor em 1º de outubro (Lei Kiss) “estabeleceu-se novas diretrizes para a realização de eventos, que devem ser cumpridas, obrigatoriamente, pelo seu realizador, em especial com obtenção do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) e da licença (Alvará) para realização do evento junto à Prefeitura.

No dia 18 de dezembro do ano passado, portanto, três dias após o protocolo do evento, a Secretaria Municipal de Finanças informou aos organizadores de que existia uma lista de documentos para serem apresentados - tanto na Finanças como na Secretaria de Obras – para a expedição da autorização para a realização do evento. E, mais, colocou no mesmo protocolo a lista de documentos, para facilitar a compreensão dos organizadores.

Em janeiro, a Secretaria de Obras informou que não poderia atender na prestação de serviços elétricos, haja visto que a Lei Kiss determina que este serviço seja do organizador. Da mesma forma, a Secretaria da Ação Cultural e Turismo explicou que não atenderia neste ano aos pedidos da Sapucaia, como já havia ocorrido no ano passado, em virtude da contenção de gastos.

Desde dezembro, os organizadores têm sido informados e orientados, seja em reuniões ou em contatos telefônicos, da necessidade da Associação estar atenta às exigências das leis em níveis federal e municipal. Em nenhum momento, a Associação apresentou documentos que garantissem a ela a realização do evento.

Independente do possível cancelamento, a Polícia Militar, a Guarda Civil e agentes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes estarão neste domingo, 04/02, a partir das 6h na região para salvaguardar a população e o patrimônio.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/noticia/presidente-da-sapucaia-lamenta-cancelamento-em-2018-e-poe-em-cheque-desfile-nos-proximos-anos.ghtml

 

COMENTÁRIOS