Tite mantém quarteto ofensivo e confia na defesa por vaga nas quartas
02/07/2018 06:02 em Esportes

Seleção brasileira enfrenta o México nesta segunda (2), pelas oitavas de final da Copa

O quarteto ofensivo, com Willian, Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus, começou como a grande esperança da seleção brasileira na Copa, mas é na defesa que o técnico confia para ver a equipe chegar às quartas de final.

 

Tite espera para a partida contra o México, às 11h desta segunda (2), em Samara, a repetição de algo que se acostumou a ter: uma defesa sólida.

 

Com um gol tomado até agora no Mundial da Rússia, o Brasil foi a segunda equipe menos vazada na primeira fase do torneio —atrás apenas do Uruguai, que passou da fase de grupos sem levar gol.

Comandada pelos experientes Thiago Silva e Miranda, ambos de 33 anos, a defesa é considerada por Tite o ponto de equilíbrio da seleção brasileira nas oitavas de final.

A última vez que o Brasil não passou do primeiro mata-mata foi na Copa do Mundo da Itália, em 1990.

A consistência do sistema defensivo não é algo construído apenas no Mundial. Desde as eliminatórias, Tite acertou o posicionamento independentemente da troca de jogadores e das duas formações utilizadas durante os jogos: o 4-2-3-1 ou o 4-1-4-1.

Em 24 partidas sob o seu comando, foram apenas seis gols sofridos. Ou seja, um a cada quatro jogos.

Para obter bons resultados no esquema defensivo, o treinador conseguiu algo raro na seleção com o seu protagonista. Ele convenceu Neymar a participar do sistema, o que Romário —em 1994— e Ronaldo —em 1998, 2002 e 2006— se recusavam a fazer.

O jogador do Paris Saint-Germain e Gabriel Jesus recuam até a defesa brasileira quando o adversário está com a posse de bola.

No jogo contra o México, Neymar terá a função de perseguir o lateral direito Álvarez.

“Na posição defensiva, não somos só os quatro e o primeiro volante. O poder defensivo do Brasil começa desde o Gabriel. Lá com Neymar e Willian”, disse o volante Casemiro, um dos destaques da equipe.

 

Loading

“Não só os cinco que a galera vê tirando bola, e o goleiro. São os 11 dentro de campo que defendem e os 11 que atacam. Não podemos tirar o mérito deles”, acrescentou o ex-volante do São Paulo, que jogará pendurado nesta segunda.

 

A confiança de Tite no setor defensivo pode ser medida pelos capitães da equipe na Copa. No rodízio feito pelo treinador com a faixa, apenas Thiago Silva, Miranda e Marcelo a usaram.

 

Nesta segunda, Silva colocará a braçadeira pela segunda vez no Mundial.

 

Apesar do equilíbrio nas últimas partidas, o Brasil leva vantagem nos confrontos com os mexicanos. Até agora, foram 23 vitórias, 10 derrotas e 7 empates.

 

Foram quatro duelos em Copas, com três vitórias brasileiras e um empate. No Brasil, em 2014, os dois times empataram em 0 a 0, em Fortaleza.

 

“Dado estatístico, olhando para o passado, tal qual outras referências, como vitória de ouro olímpico [quando os mexicanos ganharam do Brasil na final dos Jogos Olímpicos de Londres 2012]. Podemos buscar dados da maneira que convir. O que é importante amanhã? No jogo anterior, todos os atletas tiveram muito bom ou bom desempenho. Isso fortalece a equipe”, disse o treinador, que fez mistério sobre a estratégia que usará contra os adversários.

 

“Esses ajustes táticos a gente vai ficar segurando para não passar para vocês”, acrescentou.

 

Tite confirmou o lateral Filipe Luís como titular na partida. Marcelo, titular da posição, ainda se recupera de uma dor nas costas que o tirou aos 9 minutos do duelo contra a Sérvia, semana passada.

 

“Falei com o Marcelo. Numa situação normal, ele jogaria. O que não pode é o técnico colocar um atleta em situação de insegurança num jogo desse. Eu disse a ele como é legal ter um cara que foi para o campo, ele quer participar. Isso mostra sua responsabilidade, seu comprometimento, mas me foi colocado que ele teria 45 ou 60 minutos de tempo de segurança. Não posso num jogo decisivo”, afirmou Tite.

 

O treinador brasileiro também informou que Fagner seguirá no time titular, no lugar de Danilo —dono da posição na estreia contra a Suíça— que estava machucado mas já está à disposição para entrar em campo.

 

Além da vaga nas quartas, a vitória nesta segunda garantirá aos cofres da CBF uma premiação de US$ 16 milhões (R$ 62 milhões) paga pela Fifa.

Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2018/07/tite-mantem-quarteto-ofensivo-e-confia-na-defesa-por-vaga-nas-quartas.shtml

COMENTÁRIOS